Posted by : Roberta Caroline domingo, 22 de maio de 2011


Enquanto ainda não vemos um mangá genuinamente yuri por aqui, os fãs podem recorrer á meios alternativos alguns mangás que possuem uma temática bem shoujo-ai, caso de Utena – Uma aventura mágica -, Tantric Stripfighter Trina e Miyuki-chan in Wonderland ( Fushigi no Kuni no Miyuki-chan em japonês), que será o tema deste post.


Miyuki-chan no país das maravilhas foi lançado aqui no Brasil logo no finalzinho da febre que o filme homônimo de Alice no País das Maravilhas do famoso diretor Tim Burton provocou por aqui, causando rebuliço até na industria dos mangás – com o famigerado lançamento do mangá baseado na famosa obra de Lewis Carrol pela editora NewPOP -. O lançamento de Miyuki-chan se deu pela Jbc, em comemoração aos 20 anos de carreira do quarteto maravilha. Quardada as devidas proporções, foi um lançamento bem pomposo por parte da Jbc, dando um acabamento bem bacaninha ao mangá, que veio pelo selo Graphic Novel (destinados aos lançamentos de mangás em edições luxuosas – ou pelo menos é o que dizem - ), com direito a páginas coloridas, orelhas e extras também coloridos.


Miyuki-chan in Wonderland é uma paródia – que se propõe a ser divertida – dos livros “Alice no país das maravilhas” e “Alice no país dos espelhos”, além é claro dos já habituais crossovers que as garotas do CLAMP promovem entre seus personagens e de outras séries já consagradas. No caso de Miyuki-chan, ela acaba indo parar no mundo de “X”, o que acaba sendo um dos melhores momentos do mangá.


Mangá este, que é uma fantasia erótica baseado no universo yuri. A temática é bem interessante e tem como foco a jovem Miyuki no lugar da pequena sapeca e sonhadora Alice. Miyuki é uma ingênua adolescente – e que lembra um pouco nossa querida Usagi-chan, que por aqui é mais conhecida como a Serena de Sailor Moon – que um belo dia, acorda hiper atrasada para a escola e tem que se arrumar as pressas, saindo com um fatia de pão entre os lábios – os clichês mais utilizados nos mangás estão bem presentes aqui – e enquanto corre contra o tempo, ela vê bem ao seu lado uma atraente garota vestida de coelhinha da Playboy em cima de skate. Ela acaba se distraindo com a garota e vê logo a sua frente, um buraco negro. Conseqüentemente, ela cai no buraco e a partir daí ela se vê arrastada entre vários “mundos” bizarros povoados de mulheres vestidas de forma provocante e que tentarão de tudo para arrancar um beijo e – as mais atrevidinhas – as roupas de Miyuki.


Todas os personagens são do sexo feminino e claro, é algo bem proposital e que emula bem os principais mangás yuris, principalmente os escolares. O ecchi é trabalhado por elas de uma forma bem provocante e sensual, mas para dar sentido a história já que visualmente isso não é tão explorado. Apesar de que, se tratando de CLAMP, ecchi é algo que não se encontra sempre, mas quando aparece é sempre de uma forma bem trabalhada. Apesar de ser apenas um volume, o desenvolvimento é tão ágil que parece ser muita história pra pouco volume e não há muitos diálogos, fazendo com que Miyuki-chan seja melhor contemplado visualmente. Em toda a história, Miyuki aparece em diversas situações, seja vestida de garçonete, de personagem de Angelic Layer ou vestindo algum cosplayer/roupa intima.


Nos exóticos lugares em que a garota acaba indo parar, ela conhece “figurinhas” como; o Chapeleiro Maluco, o Gato de Cheshire (todos em suas versões femininas xD) e uma versão S&M da Rainha de Copas – que vive rodeada por belas  mulheres que tentam seduzir Miyuki e adoram ser "punidas" pela Rainha sádica – entre outros personagens da história clássica.

Tecnicamente

O mangá foi lançado originalmente de 1993 á 1995, tendo seus capítulos veiculados na revista Newtype. Após o termino, a Kadokawa publicou a série em formato tankobon (todos os capítulos em um único volume de mangá) e re-lançou novamente em 2001. O mangá ainda originou um álbum de imagens do mangá e dois OVA’s (Miyuki-chan In Wonderland  e Miyuki-chan In Mirrorland)produzido no mesmo ano de 1995 com a duração de 13 minutos cada, produzido pela Madhouse.


Comentários finais

As meninas do CLAMP tentaram fazer uma comédia nonsense, que acabou não soando engraçada em nenhum momento e depois que se lê Miyuki-chan, difícil não concordar com todas as críticas que a série recebeu, como sendo o pior mangá já produzido pelo quarteto. Quando comprei, eu realmente me surpreendi com a falta de um bom roteiro e diálogos mais interessantes, mas o apelo visual é incrível, não da pra não ficar encantada com a arte do mangá e as páginas coloridas são apenas a cereja do bolo. Miyuki-chan in Wonderland acaba sendo uma obra limitada e que atende apenas aos seus fãs – talvez os mais hardcores – que mesmo não achando a história nada interessante, podem se deliciar com o traço e as personagens, pois a trama em si é completamente confusa e sem muito propósito, é apenas uma “viagem” como aquelas que temos vez ou outra em alguns sonhos que não fazem sentido algum. O OVA é bem agradável, apesar das claras limitações técnicas, consegue entreter bem e recomendo muito por ser o tipo de "uma aventura divertida". O mangá indispensável na coleção daqueles que se dizem fãs do CLAMP, mas completamente dispensável pra quem não sente tanto carinho assim por elas, a ponto de jogar 15 reais na lixeira.



Autor: CLAMP
Volumes: 01
Publicação: Kadokawa Shoten
Gênero: Comédia, Fantasia
Demografia: Yuri
Lançamento no Brasil: Jbc
Adaptação: OVA

2 Responses so far.

  1. Margoth says:

    Fiquei putinha da vida depois que comprei, ruim é apelido.

  2. Anônimo says:

    Bom pra você é Naruto né?

Translate to your language:

Seguidores

Parceiros

Parceiros | Yuri

Kiyoteru Fansub
Gokigenyou
Moonlight Flowers
S2 Yuri
Yuri Licious
Yuri Private
Yuri Zone

Parceiros | Blogs e Sites

Anikenkai
Chuva de Nanquim
Elfen Lied Brasil
Gyabbo!
Jwave
MangaBa
Mithril
Mundo Mazaki
nbm² - Nobumami
Netoin!
Shoujismo
Você Sabia Anime?

Arquivo do Blog

Popular Post

- Copyright © | Kono - Ai - Setsu | - fonte para yuri, shoujo-ai e girls love desde 2007 -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -